Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Maquiagem de Carnaval Para Crianças

Sábado, 28.01.12

 

 

 Cachorro

 

 

Como Fazer

 

Clique Para ampliar

 

 

 

 

Borboleta

 

 

Como Fazer

 

Clique Para ampliar

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Norma às 22:05

Fantasias de Carnaval

Segunda-feira, 23.01.12

 

 {#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}

 

 

 

 

Clique Para Ampliar

 

 

Moldes

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Norma às 11:40

Maquiagem Para as Festas De Momo

Segunda-feira, 23.01.12

 

 

  Carnaval ! Caia na Folia

 

 

 

 de cara pintada de lua

 

 

de flor e

 

 

de fada...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Norma às 02:09

Maquiagem de Fada Para O Carnaval

Segunda-feira, 23.01.12

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Norma às 02:07

Croche Na Praia

Sábado, 21.01.12

 

{#emotions_dlg.sol} Cadeira Crochetada !

 

 

 

Se for passar o Carnaval na

 

 

Praia ainda da tempo de

 

 

fazer e arrasar

 

 

 

 

 

 

 

Receita

 

Clique Para Ampliar

 

 

 

 

                     {#emotions_dlg.sol}

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Norma às 19:14

È tempo de Carnaval....

Terça-feira, 26.01.10

Origens Históricas do Carnaval.

A festa tem a sua origem há mais de 4 mil anos antes de Cristo, no antigo Egito, como culto a Ísis. Festas estas relacionadas a acontecimentos religiosos e rituais agrários, na época da colheita e grandes safras.Celebram  o início do Ano Novo e o ressurgimento da natureza, As pessoas pintavam  os rostos, dançavam e bebiam. Existem  indícios  de que o  Carnaval tem  origem  na Grécia em meados dos anos 600 a 520 a.C.. os gregos realizavam seus cultos em agradecimento aos deuses pela fertilidade do solo e pela produção agrícola.
Em Roma, as raízes deste acontecimento estão ligadas a danças em homenagem ao Deus Pã e Baco, as chamadas Lupercais , Bacanais ou Dionísiacas.
Posteriormente, gregos e romanos inserem bebidas e práticas sexuais na festa, tornando-a intolerável aos olhos da Igreja Católica, que com o passar do tempo, adota a festa.  Em 590 d.C. e determina que esses festejos só deverm ser realizados antes da Quaresma. Na Italia usam a palavra “Carnevale”  “tudo vale o que se quiser fazer…” antes da Quaresma, numa espécie de abuso de carne. O termo carnaval é de origem incerta, embora encontrado  no latim medieval, como carnem levare ou carnelevarium, palavra dos séculos XI e XII, que significava a véspera da quarta-feira de cinzas, hora em que se inicia a abstinência da carne durante os quarenta dias durante (no passado), os católicos eram proibidos de consumir carne,durante os 40 dias da quaresma.
Em Portugal nos séculos XV e XVI, o Carnaval recebe o nome de Entrudo, introdução à Quaresma através de uma brincadeira agressiva e pesada. Divertimento marcado por gastronomia própria, e brincadeiras violentas. Faziam-se esferas,ou limões de cera  cheios de água e substâncias  mal cheirosas e impróprias que atiravam nas pessoas,de forma brutal chegando a causar sérios ferimentos,também aqui no Brasil . Essa pratica foi permitida até o aparecimento do lança-perfume, no século XX, assim como do confete e da serpentina. No Brasil, o primeiro carnaval aparece em 1641, promovido pelo governador Salvador Correia de Sá e Benevides em homenagem ao rei Dom João IV.
No Brasil o Carnaval  vive sua época  dourada, do fim do século XIX na década de 1950. Em 1922,o Carnaval tem um caráter mas  participado  e compartilhado, dançado, pulado, sobretudo cantado.A serpentina o confete,  e o lança-perfume são  elementos que animaram o carnaval brasileiro de salão. Também cooperaram para o maior êxito dos corsos que deram vida ao carnaval de rua. E neste, as batalhas de confete importado da Europa bem como as serpentinas e o lança-perfume, constituem o momento culminante. A moda do corso, iniciada timidamente logo após a chegada dos primeiros automóveis, atingiria seus momentos de glória entre 1928 e  1940.
O corso consistia numa passeata carnavalesca de carros de passeio conversíveis, enfeitados de panos coloridos e bandeirolas,conduzidos por famílias ou grupos de foliões que se sentavam não só nos assentos mas também sobre a capota arriada, sobretudo as moças fantasiadas de saias bem curtas, cantando ou jogando serpentinas e confetes nos pedestres, que se amontoavam nas beiras das calçadas para vê-las passar.
O uso de fantasias e máscaras teve seu auge  em todo o Brasil, de 1870 até 1950 diminuindo em 1930, com o encarecimento dos tecidos ,ornamentos e sapatilhas, etc. As  fantasias que enfeitavam os jovens participantes foram se reduzidas ao mínimo de roupa possível.  Aparecem os disfarces mais famosos do tempo do império e início da república, como a caveira, o velho,  burro , doutor,  morcego, diabinho a morte, o príncipe, o mandarim, o marajá. E também fantasias clássicas da Commedia dell’arte italiana, como dominó, pierrô, arlequim e colombina  que já não tinham razão de ser, depois da proibição do uso de máscaras nos salões e nas ruas.
Contudo  ainda na década 1930, muitas  fantasias  eram utilizadas, inclusive com máscaras. Entre elas as de apache, gigolô, malandro (camiseta de listras horizontais, calça branca, chapéu de palhinha, lenço vermelho no pescoço), dama antiga, espanhola, camponesa, palhaço, tirolesa, havaiana, baiana.
Abaixo uma foto de minha mãe num baile de Carnaval por volta do ano de 1934.
Fiz um trabalho usando filtros e pincéis.
Se quiser usar as fotos de meus trabalhos,faça a gentileza de linkar-me .Obrigada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Norma às 00:07

Flag Counter




Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D